Joinville         -          Quinta-feira, 11 de Janeiro de 2001         -          Santa Catarina - Brasil
 
 
ANotícia  












Praia do Pinho
Versão catarina do paraíso
Fotos
: Sandro Maciel

Inocência

Banhistas curtem a liberdade de poder andar nus em família, sem temores nem constrangimentos, na Praia do Pinho, onde o naturismo ganhou o seu primeiro impulso com a implantação oficial de um espaço específico
Fotos: Sandro Maciel

Pinho Pecado
é entrar com roupa

A primeira praia de nudismo do Brasil recebe naturistas de todo o Mercosul

Marília Maciel
Especial para o AN Verão

Os mais diferentes sotaques se misturam na Praia do Pinho. Paulistas, cariocas, mato-grossenses, paranaenses, argentinos, paraguaios, norte-americanos fazem da praia uma miscelânea cultural, mas todos têm algo em comum: a prática do nudismo. Primeira praia do Brasil destinada oficialmente às práticas naturistas, o Pinho possui cerca de 500 metros de faixa de areia onde usar roupa é pecado. Nem mesmo o topless é permitido. Metade da praia é destinada a casais e crianças e há uma área restrita para homens solteiros.
A praia, localizada a 15 quilômetros do centro de Balneário Camboriú, é cercada por montanhas cobertas de mata. No Extremo-sul, um conjunto de formações rochosas completa a paisagem. Do lado Norte, uma piscina natural se forma e faz a alegria de adultos e crianças.
Não é apenas o nudismo que torna a Praia do Pinho diferente e atrativa. As águas são limpas, cristalinas em alguns pontos. Não há lixo na areia e cada visitante é instruído a colaborar com a limpeza da praia. Nada de vendedores ambulantes. Os garçons do Restaurante do Pinho servem os visitantes na areia. Quem esquece a cadeira de praia pode alugar uma e o guarda-sol vem junto.
Para os naturistas que freqüentam a praia há mais tempo, a principal característica do lugar é a amizade e o respeito. "É diferente das outras praias, onde cada um ocupa seu espaço e pronto. Aqui todos são amigos mesmo", afirma a paulista S.F., que há 12 anos freqüenta a praia. Uma forma inevitável de fazer novos amigos no Pinho é ficar no camping. "A melhor hora é a da cozinha", diz a curitibana Vera Sabidussi. "Parece uma grande família". A área de camping oferece cozinha comunitária, energia elétrica, chuveiros e banheiros. Também há quartos na pousada, quitinetes e cabana para quem não gosta de dormir em barraca. Quem preferir fazer as refeições nos dois restaurantes, terá várias opções no cardápio.
A paraguaia Olga Ortiz passou este ano sua primeira temporada no Pinho e já decidiu voltar no próximo verão. "No começo é meio complicado tirar a roupa, mas se passam dez minutos e a gente se sente mal se não tirar. Isso é um paraíso", afirma. O casal J.A. e M.A. viaja 1.500 quilômetros para chegar ao Pinho, mas garante que vale a pena. "A sensação de liberdade que se tem aqui paga o sacrifício da longa distância", diz um deles.
A praia também é uma atração para o que os nudistas chamam de "curiosos". Por isso a entrada é controlada e paga. Quem não tem coragem de tirar a roupa tem de se contentar em ficar do lado de fora e espiar de longe. Uma placa bem na entrada dá o recado: "Imoral é tudo o que excita os moralistas".


Saiba mais
A praia do Pinho em dados e números

Como chegar
A partir de Balneário Camboriú, seguir pela rodovia Interpraias. Há placas indicativas ao longo da rodovia. Distância: 15 quilômetros de Balneário Camboriú.

Onde dormir
Camping
: diária a R$ 8,00 por pessoa
Para passar o dia usando infra-estrutura do camping: R$ 10,00 (casal)
Cabana: R$ 30,00
Apartamento: R$ 30,00
Apartamento
(fundos): R$ 45,00
Apartamento frente p/ mar: R$ 50,00
Quitinete 1: R$ 70,00
Quitinete 2: R$ 60,00

Onde comer
Restaurante do Pinho
Mais informações: (47) 391-6010


Espanhol

Isla del "Grant"

Esqueletos y leyendas sobre piratas no alejan a ningún visitante de las bellezas de esta elevación rocosa

Hildy Vieira
Especial para AN Verão

Escenario de historias leyendarias, la Isla del "Grant" es considerada un antiguo refugio de piratas. La verdad es que desde hace mucho tiempo el local viene deslumbrando con sus bellezas a navegantes y a turistas. La playa perteneció al inglés Mister Grant, que la compró cuando aún estaba deshabitada. Según algunos historiadores, el lord tenía la intención de construir un telesférico, vinculando de esta manera el cerro que se encuentra en la costa del balneario hasta la pequeña isla ubicada enfrente, antiguamente conocida como Isla de las Cañas, actualmente Isla del "Grant".
La isla es una de las referencias de entretenimiento de la región. Pertenece al Yate Club Itajuba, y alberga embarcaciones de pequeño calado, siendo muy visitada por turistas que aprecian la práctica de la pesca de lanzamiento. Según Miguel Roberto Heins, 49 años, 14 de ellos como casero de la Isla del "Grant", en la alta temporada llegan a circular más de 200 visitantes en un único día. "Es una buena fuente de renta para los pescadores del lugar. Son ellos los que realizan la travesía de las personas en barcos o canoas", comenta.
El lugar posee poca infraestructura, pero nada que comprometa la sensación inaudita de estar en una pequeña porción de tierra, con agua alrededor por todos los lados. Además de los dos galpones donde se encuentran los barcos que pertenecen a los 32 socios del Yate Club, la Isla del "Grant" también alberga un espacio abierto para la realización de fiestas, con tres parrillas, cinco baños y mesas de cemento al aire libre. Todo abastecido por un pozo de agua dulce cavado allí mismo, en la isla, y un generador de energía.
Morena, bajita y con sonrisa simpática, María Joaquina das Graças Silva, 41 anos, esposa de Miguel, es la verdadera anfitriona. Es ella quien sabe y cuenta las historias de los fantasmas del lugar, confesando que no le agrada mucho el hecho de que hayan encontrado en la isla esqueletos humanos durante la construcción del Yate en la década de 60. "Si hubiese visto las calaveras, creo que no podría vivir aqui", observa, precavida. "Dicen que la ex mujer de Miguel veía bultos de gente vestida de blanco paseando por la isla. Otras veces oía el ruído de ollas en la cocina. Nunca vi nada. Pero no me gusta pensar que estoy viviendo encima de un cementerio", admite.
Miguel, que pasa casi el día entero realizando la travesía de los socios y de los visitantes entre la isla y el continente, parece no importale mucho tener la compañía de esqueletos humanos. "Una vez encontramos una cabeza con dientes y todo. Creo que existen otras por ahí", menciona. Para él, lo más importante es la proximidad con el océano. "¿Usted ya vió una tempestad en el mar?", pregunta. "Es algo muy lindo, ver los rayos cayendo en el agua".
La estructura casi plana de la isla no debe inspirar mucha seguridad para quien pase una noche de tormenta marítima en sus instalaciones. "Cuando hay tempestad, llega a dar miedo. El viento sopla muy fuerte y ya hubo mareas que entraron dentro de la casa", contrapone María. A pesar de los temores, está dispuesta a ganar algún dinero durante este verano. "A partir del día 20 el público va a poder contar con un bar para tomar una cerveza, una gaseosa y saborear algunos aperitivos", anticipa. Quien tuvo la oportunidad de probar el sabor de la comida de esta señora con personalidad fuerte, garantiza que el negocio va a ser un gran éxito.

Tradución: Valéria Herzberg


Receitas

E o salmão virou panqueca

Peixe nobre conserva suas características marcantes quando preparado de modo não-tradicional

Meu reino por duas panquecas, disse certa vez um personagem de ficção. E nem eram panquecas de salmão. Se fossem, mais do que o reino, o guloso senhor entregaria a própria vida - depois de saciar-se, é verdade. Aprecie a receita abaixo e veja se exageramos.

Panquecas de salmão

Ingredientes

2 ovos
1 litro de leite
1 copo americano de farinha de trigo
Sal a gosto
Salsinha
Cream Cheese Salmão

Modo de preparar

Panquecas: bata no liqüidificador o leite com os ovos, a farinha, a salsinha e o sal. Em uma frigideira untada com margarina, vá fritando as panquecas. Não deixe dourar muito. Deixe esfriar. Passe o Cream Cheese Salmão nas panquecas e dobre em quatro, em triângulo.

Molho

Creme de leite fresco, polvilhando com caviar (como na foto), mas, se preferir, semente de maracujá ou casca de laranja ralada.

... ... ...

Como preparar
um peixe empanado

Novo visual
Um ano após sua última aparição, Fábio Assunção volta à telinha, com novo visual, em "Os Maias", minissérie da Globo que estréia nesta terça-feira.  AN_Tevê 
- Pincele a assadeira com uma pequena quantidade de gordura e leve ao forno para ficar bem quente.
- Tire a assadeira do forno, coloque o peixe em cima e pincele com um pouco de manteiga derretida.
- Volte ao forno moderado e deixe assar por 15 minutos (para pedaços finos) ou 20 a 25 minutos (para pedaços grossos).

Obs.: assando o peixe embrulhado em papel alumínio você conserva o seu sabor natural e evita o uso de excessos de gordura.
- Tempere o peixe com suco de limão e condimentos, a gosto. Embrulhe em papel alumínio.
- Leve ao forno moderado para assar, calculando cerca de 20 minutos para pedaços finos e de 25 a 30 minutos para os mais grossos.
- Desembrulhe na hora de servir e o peixe estará úmido, com o seu suco natural, tornando descenessário qualquer tipo de molho.

- Limpe o peixe e coloque sobre uma folha de papel alumínio. Polvilhe com sal, pimenta e suco de limão.
- Embrulhe muito bem para conservar todo o seu suco.
- Coloque entre dois pratos e a seguir dentro de uma frigideira com água fervente.
- Cozinhe por cerca de dez minutos até ficar macio.

Manchetes AN
Das últimas edições de AN Verão
10/01 - Praia do Forte: Ondas oblíquas, belezas frontais
09/01 - Vou de bate-e-volta para a Vila da Glória
08/01 - Jurerê, mar e mansões
07/01 - O verão longe do mar
06/01 - Os novos e velhos encantos de Piçarras
05/01 - Armação do Itapocoroy: Berço de carijós, matadouro de baleias
04/01 - Um passeio pelo Mercado Público

Leia também

Impulso que vem do mar
Vista geral de Itapema: o município que mais cresce em Santa Catarina
Foto: Marcos Trevisan

Nos embalos de Itapema

Uma praia pequena com a infra-estrutura dos grandes balneários brasileiros

Aline Machado Parodi
Especial para o AN Verão

Itapema é o município catarinense que mais cresceu nos últimos anos. E um dos balneários mais procurados durante a temporada de verão. A explicação está aos olhos de todos. O azul do mar que contrasta com o verde de suas matas e o clima saudável são o convite perfeito para um descanso. A cidade oferece ao turista um espetáculo de visual deslumbrante com suas praias de águas tranqüilas e cristalinas na sua maior parte (apesar de quatro pontos considerados impróprios para o banho, conforme avaliação da Fatma, publicada aqui semanalmente).
A cidade vive apenas do turismo. Por isso, durante todo o ano oferece excelente infra-estrutura e opções de lazer comparada aos grandes balneários. Localizada a 60 quilômetros de Florianópolis, a cidade virou referência daqueles que procuram lazer. As tradições e costumes açorianos ainda são mantidos pelos nativos. Assim, a pesca artesanal torna-se também um grande atrativo.
A natureza foi generosa com Itapema. Em toda a extensão da costa encontram-se vários atrativos naturais, com características próprias. A praia de Itapema fica bem no centro, entre a Meia Praia e a Praia da Ilhota. Meia Praia é a região mais movimentada em número de pessoas e serviços. É onde funciona o centro comercial do município e vários bares na orla. São três shopping centers e diversos restaurantes que oferecem os melhores pratos à base de frutos do mar.
O Canto da Praia é a primeira praia de Itapema, reduto de pescadores. Os surfistas preferem as ondas da Praia Grossa e Ilhota. No centro de Itapema o mar é tranqüilo e há uma excelente estrutura hoteleira e de serviços. A realização de eventos esportivos e os bares convidativos fazem com que seja um dos pontos mais freqüentados de toda a orla deste balneário. O turista ainda pode brincar nas "bananas" (banana-boat). Um passeio de 15 minutos custa em média R$ 7,00.

Um pouco da história

Os primeiros habitantes de Itapema eram açorianos. O primeiro nome do lugar foi Tapera, devido aos tipos de casas construídas. Em 1850, a localidade foi elevada à categoria de vila, pertencendo ainda a Porto Belo. Em 1921, recebeu o nome de Itapema e tornou-se distrito em 1924, incorporada ao município de Camboriú, enquanto Porto Belo passou a pertencer a Tijucas. Em 1926, os dois municípios se reorganizaram e voltaram a formar Porto Belo. Em 1962, foi instituído o município de Itapema.


Onde se hospedar
Conheça os principais hotéis de Itapema

Hotel Plaza Itapema
endereço: BR-101, km 145
Telefone: (47) 368-2222
Toll Free: 0800 473-222

Hotel Village I
endereço: Av. Beira Mar, 28
Fone/Fax: (47) 368 - 2283
e-mail: village1@bnu.nutecnet.com.br

Solis Praia Hotel
endereço: Av. Nereu Ramos, 987 - Centro

Hotel Beira Mar
endereço: Av. Nereu Ramos, 121 - Centro
Fone/fax: (47) 368-4011
e-mail: calo@iai.matrix.com.br

Hotel Enseada Itapema
endereço: Rua 219, 45 - Centro
Telefone: (47) 368-4799

Hotel Resort Itapema Vacation Club
endereço: Av. Gov. Celso Ramos,707 - Centro
Telefone: (47) 368-2266

Hotel Pousada 7 Mares
Rua 109, s/nº - topo do morro
Fone/Fax: (47) 368-2247

Hotel Itapema Meia Praia
Rua 270, 39
Fone/fax: (47) 368-4678


Piada do dia

Por que o frango cruzou a estrada?

Algumas respostas prováveis:

Professora primária: porque queria chegar do outro lado da estrada.
Criança: porque sim.
Polyanna: porque estava feliz.
Platão: porque buscava alcançar o Bem.
Aristóteles: é da natureza dos frangos cruzar a estrada.
Nelson Rodrigues: porque viu sua cunhada, uma galinha sedutora, do outro lado.
Marx: o atual estágio das forças produtivas exigia uma nova classe de frangos, capazes
de cruzar a estrada.
Moisés: uma voz vinda do céu bradou ao frango:"Cruza a estrada!". E o frango cruzou a estrada e todos se regozijaram.
Amir Klink: para ir onde nenhum frango jamais esteve.
Martin Luther King: eu tive um sonho. Vi um mundo no qual todos os frangos serão livres para cruzar a estrada sem que sejam questionados por seus motivos.
Maquiavel: a quem importa o porquê? Estabelecido o fim de cruzar a estrada, é irrelevante discutir os meios que utilizou para isso.
Freud: a preocupação com o fato de o frango ter cruzado a estrada é um sintoma de sua insegurança sexual.
Darwin: ao longo de grandes períodos de tempo, os frangos têm sido selecionados naturalmente, de modo que, agora, têm uma predisposição genética a cruzar estradas.
Einstein: se o frango cruzou a estrada ou a estrada se moveu sob o frango, depende do ponto de vista. Tudo é relativo.
FHC: por que ele atravessou a estrada, não vem ao caso. O importante é que, com o Plano Real, o povo está comendo mais frango.
Ministro José Serra: porque está mais forte e saudável, devido às vacinas que tomou na infância.
Ministro Paulo Renato: porque descobriu (em aula) que a reta é a menor distância entre dois pontos.
De alguém: porque foi aconselhado por seu advogado.
Maconheiro: foi uma viagem...
Pinochet: el se fué, pero tengo muchos penachos de el en mi mano!
ACM: Estava tentando fugir, mas já tenho um dossiê pronto, comprovando que aquele frango pertence a Jorge Amado. Quem o pegar vai ter de se ver comigo.
Feministas: para humilhar a franga, num gesto exibicionista, tipicamente machista, tentando, além disso, convencê-la de que, enquanto franga, jamais terá habilidade suficiente para cruzar a estrada.
Nietzsche: ele deseja superar a sua condição de frango, para tornar-se um superfrango.
Che Guevara: hay que cruzar la carretera, pero sin jamás perder la ternura...
Sócrates: tudo que sei é que nada sei.
Parmênides: o frango não atravessou a estrada porque não podia mover-se. O movimento não existe.
Caetano Veloso: o frango é amaro, é lindo, uma coisa assim amara. Ele atravessou, atravessa e atravessará a estrada porque Narciso quisera comê-lo... ou não?
Dorival Caymmi: eu acho (pausa)... Anália, vai lá ver pra onde vai esse frango pra mim, minha filha, que o moço aqui tá querendo saber.
Carla Perez: porque queria se juntar aos outros mamíferos.

Fonte: impossível saber, pois o texto foi disseminado pela Internet

 
Copyright © 2000 A Notícia - Fone: 055-0xx47 431 9000 - Fax: 055-0xx47 431 9100 - Rua Caçador, 112 - CEP 89203-610 - C. Postal: 2 - 89201-972 - Joinville - SC - BRASIL - EXPEDIENTE
 
Por: Torque Comunicação e Internet