Joinville         -          Segunda-feira, 23 de Julho de 2001         -          Santa Catarina - Brasil
 
 

ANotícia  

P  
O  
L  
Í  
C  
I  
A  






Estradas com três
mortos no fim de semana

Acidentes ocorreram em Rio Negrinho, Tubarão e Laguna entre sexta-feira e a tarde deste domingo

O trânsito nas rodovias catarinenses fez menos vítimas no final de semana, revelando um tráfego mais tranqüilo e, na avaliação da Polícia Rodoviária, mais consciente. Entre a noite de sexta-feira e o final da tarde de ontem, levantamento junto a polícia indicou a ocorrência de três acidentes com morte.
Na BR-101 morreram duas pessoas. No quilômetro 344, em Tubarão, Aristides José da Silva perdeu o controle do Voyage LXE-6192 (Tubarão). O carro invadiu a contramão e colidiu com o Santana BHT-6838 (São José dos Campos-SP), conduzido por Manoel Luiz Mendes. No acidente, os passageiros do Voyage, Guilherme Brolesi da Silva, 8 anos, e Rosina Bernardina Carara, 70, tiveram lesões graves, enquanto Lúcia Carara da Silva, 44, não resistiu aos ferimentos e morreu no local do acidente. O acidente teria ocorrido porque um dos pneus do reboque que o Voyage puxava furou.
Na mesma região, no km 317, Laguna, o Astra LWW-4272 (Tubarão) dirigido por Amir Hatem Ahmad Mustafá, 20 anos, atropelou o ciclista Edmar Epifânio Martins, 18, que teve morte instantânea.

PLANALTO NORTE

Uma pessoa morreu e sete ficaram feridas em decorrência de três acidentes registrados no sábado, na BR 280, trecho do Planalto Norte. Em Rio Negrinho, Verônica Gurniski, 78 anos, morreu depois de um abalroamento lateral entre a Toyota placas KAY-7471, de Cuiabá (MT) e o Versailles LXX-4275, de Porto União. A idosa residia em Rio Negro (PR) e estava na Toyota dirigida por Ricardo Sainiconi, 30.
No Versailles estava Francisco Saiber, 64, que ficou gravemente ferido. Na tarde de ontem, o motorista recebeu alta do hospital de Rio Negrinho. Outros três ocupantes do Versailles tiveram ferimentos leves. O acidente ocorreu às 19 horas, no quilômetro 134,3 da BR 280, em Rio Negrinho.
Na mesma rodovia, às 11h45 de sábado, o Fiat Elba MBS-4460, de Rio Negrinho, dirigido por Mário Lisczkoviski, 29, atropelou o garoto Tiago Joaquim Paes, 4. Com ferimentos graves, o menino foi levado à Fundação Hospitalar de Rio Negrinho, onde continuava internado até o final da tarde de ontem. O acidente ocorreu no quilômetro 127, em Rio Negrinho.
Aparelho de GPS realiza localização por satélite
Falta de mapas dificulta uso desse sistema no Brasil.  AN_Informática 
Em Mafra, mais duas pessoas ficaram gravemente feridas depois de uma colisão traseira que envolveu o caminhão Volvo LYQ-5140, de Irineópolis, dirigido por Antônio Vilmar Oliveira, 41, e o Gol AHP 5041, de União da Vitória (PR), dirigido por Edegar Donizete Gasnhar, 36. Iraci Ribeiro Boehrer, 53 e Louri Boehrer, 54 que estavam no carro, tiveram ferimentos graves e foram atendidos no pronto socorro de Rio Negro e encaminhados ao Hospital Bom Jesus, da mesma cidade, onde permaneciam internados até a tarde de ontem.

VIA DUTRA

Dois caminhões bateram e caíram de um viaduto, na altura do quilômetros 23l, pista São Paulo-Rio, da Rodovia Presidente Dutra. Um motorista morreu no local do acidente e o outro foi levado em estado grave para o Hospital das Clínicas de São Paulo.

Jovem bate carro em vidraçaria

Joinville - Rafael Pinheiro, 18 anos, foi detido por policiais militares às 10h45 de ontem, depois de perder o controle do Escort BBS-0009 (Joinville) e colidir contra o prédio da vidraçaria Impacto Vidros Ltda. Ele estava embriagado e no teste com o bafômetro, realizado pela PM na Polícia Rodoviária Federal, foi constatado 0.53 de teor alcoólico (o máximo permitido pela legislação é 0.6). O veículo pertencente ao seu pai, Moacir Pinheiro, ficou bastante danificado.
O delegado Djalma Alcântara da Silva, da 3ª Delegacia de Polícia, autuou Rafael Pinheiro em flagrante por dirigir embriagado, com base no Código Nacional de Trânsito (CNT). Ao policial, o acusado alegou que possui pouco tempo de carteira de motorista e que lhe faltou mais "experiência". A carteira foi apreendida e ele teve a fiança arbitrada em um salário mínimo para responder o crime em liberdade. O acidente foi na esquina da avenida Marquês de Olinda com rua 15 de Novembro.
Ontem, na rua 18 de Janeiro, PMs detiveram L.V.S., 16, e Luiz Carlos da Luz, 18, que tinham em seu poder uma pistola garrucha, dois canos, calibre 32 com um projétil e a moto Yamaha Crypton MEE-9860 (Joinville), furtada na sexta-feira. O veículo foi levado da garagem de uma casa na rua Dom João VI, bairro Jardim Iririú. A moto estava com Tatiane Cristina Fidelis, 21, filha do proprietário, quando foi furtada. L.V.S. tentou convencer o delegado Djalma da Silva que comprou a moto de um desconhecido por R$ 150,00.
Na rua Jesus de Nazaré, bairro Paranaguamirim, às 16h45 de ontem, PMs prenderam Giovane Luiz Almeida, 25, e Genésio Volfe, 21, acusados de promover brigas entre galos em plena via pública, atraindo grande público, atrapalhando o tráfego. Com cada os policiais aprenderam um galo de briga. Os "promotores" da briga de galo e os animais foram encaminhados para a 3ª DP, onde Giovane e Genésio foram autuados em flagrante por crime contra o meio ambiente.

Tragédia após colisão

São Paulo - O policial militar Eraldo Ventura de Oliveira, de 22 anos, é acusado de ter assassinado a tiros, sábado à noite, o motorista Alexandre de Souza, de 26 anos, e o pai dele, José Pinto de Souza, de 50 anos. O policial atirou em ambos na casa de Alexandre de Souza, no bairro de Cidade Dutra, na zona sul de São Paulo, depois de um acidente de trânsito. O PM está preso.
Por volta das 19 horas de sábado Alexandre de Souza dirigia um ônibus na Avenida Teotônio Vilela e bateu em um Fiat Uno, dirigido pelo policial. Apenas uma das lanternas do carro foi quebrada. Segundo familiares de Souza, o PM saiu do carro e atirou no ônibus. Com medo, o motorista fugiu, mas o PM o seguiu até a casa dele.
Eles discutiram por causa do acidente e Oliveira atirou no motorista, que caiu. Quando o pai do rapaz tentou socorrer o filho, também foi baleado.


Pai e filhos assassinados

São Paulo - Quatro pessoas foram mortas, no final da noite de sábado, na 42ª chacina registrada neste ano na região metropolitana de São Paulo. O crime ocorreu por volta das 23h30 de ontem, na periferia de Barueri, grande São Paulo. Manoel Sebastião Martins, seus três filhos e um sobrinho brigaram com um desconhecido, que voltou minutos depois e baleou a todos, com exceção do sobrinho de Manoel, que já não estava mais no local local onde conversavam Manoel Sebastião Martins, 53, os três filhos dele, Ivan Marques Martins, 25, Aguinaldo Marques Martins
23, e Márcio Marques Martins, 16, além de Carlos Raimundo de Lima, sobrinho de Manoel.
Testemunhas disseram que quando pai, filhos e sobrinho conversavam, em um determinado instante, sem querer, Carlos esbarrou em um rapaz que passava de bicicleta pela rua. Os dois começaram a discutir e trocar empurrões, mas os primos e o tio do rapaz acabaram separando os dois rapazes que já trocavam socos. Quinze minutos após, o desconhecido que havia brigado com Lima voltou, novamente em uma bicicleta, e, armado com uma pistola 380, disparou quatro vezes contra Ivan e duas vezes nas demais vítimas, Manoel e os outros dois filhos. Carlos Raimundo de Lima já não estava mais com tio e primos no momento em que o desconhecido voltou armado.
Testemunhas disseram à polícia que acreditam na hipótese de que o atirador teria se irritado com Manoel e os três jovens no momento em que houve a intervenção na briga entre os dois. Todas as quatro vítimas ainda foram socorridas no pronto-socorro do Hospital do Jardim Mutinga, onde morreram. O caso foi registrado no Distrito Policial de Barueri, pelo delegado Eduardo Tadeu Devito. O assassino e Carlos Raimundo de Lima continuam desaparecidos. Das 42 chacinas na região metropolitana, 23 ocorreram na capital e 19 nos demais municípios da grande São Paulo.


Embarcação vira e dois
continuam desparecidos

Palhoça - Dois pescadores foram resgatados pelo Corpo de Bombeiros no início da noite de sábado na ilha de Araçatuba (ou da Fortaleza), ao Sul da Ilha de Santa Catarina. Outros dois desapareceram e não foram localizados até o final da tarde de ontem. Os quatro saíram para pescar numa lancha de alumínio, com seis metros de comprimento e motor de 25 HP, que virou com o mar revolto. Os dois resgatados são Hélio Souza, 39 anos, e Jairo de Souza, 35, que moram no bairro Aririú. Os desaparecidos são José Altair Posebom e Ivan Mota.
Na tarde de sábado, com mar revolto e visibilidade prejudicada, as buscas foram interrompidas. No sábado, segundo informações do Centro de Operações da PM (Copom), foi vasculhada a área compreendida entre as ilhas Três Irmãs e a praia dos Naufragados e não houve sinal do barco ou dos desaparecidos. Pescadores da região foram avisados para ficar atentos, embora uma busca por mar não fosse aconselhada, por causa das más condições do tempo.
Na manhã de ontem, até pouco antes das 10 horas, o helicóptero Águia Uno, do Grupo de Radiopatrulhamento Aéreo (Graer) da PM, sobrevoou toda a baía Sul e estendeu a busca até cinco milhas a Leste da Ilha de Santa Catarina. À tarde, a partir das 13 horas, o Graer voltou a sobrevoar todo o setor leste da região.

BEBÊ NO MATO

Por volta das 3h30 de ontem, , em Caieiras, município da grande São Paulo, policiais militares localizaram um recém-nascido, abandonado no interior de um matagal. A criança, do sexo masculino, chorava muito e despertou a atenção de três rapazes que andavam pelo acostamento e resolveram parar a viatura policial. Segundo a polícia, o recém-nascido ainda estava com o cordão umbilical e placenta. Levado ao pronto-socorro municipal, o bebê abandonado pela mãe passa bem.

Manchetes AN
Das últimas edições de Polícia
22/07 - Crime deixa família traumatizada
21/07 - Polícia descobre mais um desmanche
20/07 - Quadrilha invade lojas e leva objetos em camionete
19/07 - PF apreende 10 quilos de crack
18/07 - Polícia esclarece crime em Jaraguá do Sul
17/07 - Duas pessoas são mortas em Chapecó
16/07 - Acidentes provocam nove mortes no Estado

Leia também

Outro flagrante de corrupção na polícia do Rio

Rio - O quarto flagrante de corrupção policial em apenas uma semana foi registrado na noite de sábado no Rio. Quatro policiais, dois civis e dois militares, foram presos negociando a liberação de dois caminhões roubados, estacionados no galpão da Escola de Samba União da Ilha do Governador, na Zona Portuária. Os veículos transportavam cerca de 15 toneladas de alimentos - carga avaliada em R$ 120 mil.
Uma denúncia anônima levou policiais da Coordenadoria de Inteligência e Apoio Policial (Cinap) ao galpão. Eles encontraram os PMs Márcio Machado, sargento que faz parte da equipe de apoio à Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), e Amaury Gonçalves, soldado lotado no 7º Batalhão (Alcântara), além dos civis José Henrique Gonçalves e Ricardo Nigro, oficiais de cartório da DPCA, extorquindo dois homens para liberar a carga - composta por camarão, presunto, caviar e salmão, entre outros produtos. Os caminhões haviam sido roubados na última quarta-feira em Bonsucesso, na zona norte.
Todos foram autuados por receptação de carga roubada. O porteiro do galpão, Erley Shcol Amorim Júnior, também detido em flagrante, disse aos policiais da Cinap que os veículos estavam no local a pedido da direção da escola de samba, mas o envolvimento dos policiais foi comprovado quando três caixas dos gêneros roubados foram encontradas numa geladeira da DPCA, no centro. A delegada que estava de plantão na delegacia, Carla Almeida, disse que não sabia da existência dos alimentos.
Depois de detidos, os policiais foram ouvidos na Corregedoria de Polícia, e negaram o crime, alegando que haviam descoberto o roubo da carga e a estavam recuperando para apreensão.

MAIS CASOS - Na última quinta-feira, três jovens acusaram PMs do Rio de torturá-los. A violência foi cometida porque eles estavam sem documentos. No mesmo dia, foi divulgada uma fita de vídeo mostrando nove PMs recebendo dinheiro de traficantes. No início da semana, um cobrador foi assassinado por dois policiais em Jacarepaguá. Ele havia sido seqüestrado e, como não possuía os R$ 500 pedidos pelos PMs, foi morto a tiros.


Seqüestrados encontrados no cativeiro

São Paulo - O motorista Sérgio Luiz Freire dos Santos, de 32 anos, e um de seus filhos, Gustavo, de 5 anos, foram libertados ontem pela polícia depois de ficar quatro dias em cativeiro. Eles foram seqüestrados por dois homens, na quarta-feira em casa, em Santo André (SP).
Os seqüestradores trancaram no banheiro os pais de Santos e o filho mais velho, Vinícius, de 9 anos. Durante o cativeiro, os parentes de Santos, que são pobres, receberam vários telefonemas dos seqüestradores exigindo R$ 420 mil, alegando que eles deveriam pedir o dinheiro ao comerciante Dirceu Freire dos Santos, que é irmão de Sérgio e tem uma pequena churrascaria.
Ontem, alertados por denúncia anônima, policiais invadiram uma casa no Jardim Macedônia e soltaram Santos e o filho. O desempregado Francisco Canuto Ribeiro Lima, de 19 anos, que guardava a casa, foi preso em flagrante.

 
Copyright © 2000 A Notícia - Fone: 055-0xx47 431 9000 - Fax: 055-0xx47 431 9100 - Rua Caçador, 112 - CEP 89203-610 - C. Postal: 2 - 89201-972 - Joinville - SC - BRASIL - EXPEDIENTE
 
Por: Torque Comunicação e Internet