Joinville         -          Quarta-feira, 30 de Janeiro de 2002         -          Santa Catarina - Brasil
 
 

ANotícia  





Leia também:
Aberto, mas não tão fácil e barato.
ESPAÇO_VIRTUAL

 




ENDEREÇO
Página da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo traz descrições e fotos de autores de assassinatos, roubos e estupros

Polícia mostra na
Web o mundo do crime

Sites de órgão do governo divulgam fotos e dados sobre marginais que são procurados pela Justiça

Na Internet, eles começam a mostrar as caras. Os criminosos mais conhecidos, que ocupam as páginas de nossos jornais, e outros ainda obscuros mas não menos violentos, agora têm seus rostos expostos ao público em fotos inseridas pelas Polícias Civil e Federal nas páginas de "Procurados" de seus sites.
Seguindo o exemplo do FBI, a polícia federal dos Estados Unidos, que publica na rede a lista dos "10 criminosos mais procurados", as polícias locais já dispõem de imagens e descrições dos delitos de pessoas foragidas, condenadas ou acusadas de crime que se recusam a enfrentar julgamento.
Encontram-se lá desde Salvatore Alberto Cacciola, ex-dono do Banco Marka, envolvido em fraudes contra o sistema financeiro brasileiro, até os retratos falados dos quatro seqüestradores do avião da Vasp em Londrina, ocorrido em agosto de 2000. Essas fichas podem ser lidas no site da Polícia Federal brasileira (www.dpf.gov.br).
A Polícia Civil do Estado de São Paulo é encarregada de investigações e de capturar foragidos de presídios, assim como procurar pessoas desaparecidas. Em seu site (www.policia-civ.sp.gov.br), estão descrições e fotos de autores de assassinatos, roubos, estupros e outras atrocidades, que podem ser acessadas por meio do link "Procurados".
No endereço também há um link para a seção da Polícia Federal que relaciona foragidos procurados pela Interpol, a polícia internacional que investiga de crimes comuns à máfia.
No site da Polícia Civil, chama a atenção a ficha de Cássio Alcântara, de 23 anos, que é acusado de roubo, estupro e atentado violento ao pudor com seu colega Valdecir Luciano do Nascimento, 26. Os dois teriam atacado e violentado duas meninas, de 15 e 17 anos, na cidade de Lins (SP), em julho de 2001.
A lista da PC também divulga nomes e fotos de mulheres acusadas de agir como "falsas domésticas" - faxineiras que roubam bens de residências.
A divulgação de informações serve não apenas para a população se prevenir contra ataques, mas também de ajuda à polícia, que quer dicas do paradeiro dos criminosos. No início da semana, o governador Geraldo Alckmin ofereceu recompensa de R$ 50 mil a que der informações que levem à captura dos assassinos do prefeito Celso Daniel, de Santo André.
O Congresso Nacional estuda regulamentar o pagamento por informações em lei. Nos EUA, recompensas são comuns: o FBI (www.fbi.gov/mostwant/topten/tenlist.htm) dará US$ 25 milhões a quem informar o paradeiro de Osama bin Laden.


Casos resolvidos que
abalaram a opinião pública

"Preso o coreano acusado de escravizar 62 paraguaios. As vítimas, incluindo três menores, eram obrigadas a trabalhar em confecção no bairro do Bom Retiro." Para quem lê essas palavras, a constatação mais triste é de que se trata de uma história real - não de um texto para um quadro humorístico - relatada pela Secretaria de Segurança Pública de São Paulo em sua seção "Crimes de Destaque".
O crime do trabalho escravo, tido como algo do passado em São Paulo, continua ocorrendo até mesmo na capital. A página de crimes desvendados desde 1999 (www.seguranca.sp.gov.br/crimes) inclui mais 12 categorias de delitos - que vão de homicídio a estelionato - e dá uma visão clara dos riscos comuns a que estamos sujeitos.
Outro link fala sobre a prisão de "quadrilha especializada que seqüestrou e manteve em cativeiro 36 funcionários do Banco do Brasil de Iguatu (Ceará) e seus familiares. A libertação dos reféns só aconteceu depois do pagamento do resgate de R$ 750 mil reais. Dois componentes do grupo foram presos no Terminal Rodoviário do Tietê portando cerca de R$ 56 mil".
No mesmo site, há uma seção com notícias recentes sobre a criminalidade. A linguagem, um pouco viciada por termos policiais, é repleta de siglas e apelidos para os "meliantes", em frases como: "A polícia identificou como co-autores do delito EPS (vulgo Piauí), RPM (Ratão) e BAM (Tuti)". Ainda assim, traz um bom apanhado de ações recentes da polícia.
Quem preferir voltar no tempo pode visitar o Museu do Crime (www.policia-civ.sp.gov.br/museu-crime.asp), um site ainda em formação, com pouco texto para leitura mas boas fotos de alguns artefatos usados nos casos policiais mais famosos da história de São Paulo. Lá está, por exemplo, a tal mala usada no "crime da mala".
Outra área criada pela Secretaria de Segurança Pública destina-se a pessoas desaparecidas (www.seguranca.sp.gov.br/ajude-a-policia). Ela exibe fotos e informações sobre a vestimenta e o último paradeiro de crianças, adolescentes, homens e mulheres. Os casos relatados são todos de moradores do Estado de São Paulo. O número de fotos impressiona: em cada página há pelo menos 20 imagens e descrições. Só a seção de homens possui 17 páginas, a de mulheres, 10, e a de crianças e adolescentes, 7. Os pedidos por informação remontam à década de 70.


Salvatore Cacciola
Ex-dono do Banco Marka, envolvido em fraudes financeiras, também está na rede

Conselhos para
prevenção pessoal

"Observe se não está sendo seguido e se não há veículos estranhos parados em sua rua, com pessoas desconhecidas dentro." Essa é a primeira sugestão da Polícia Civil (www.policia-civ.sp.gov.br) para quem quer evitar seqüestros. Outras nove dicas tentam ajudar o cidadão a se proteger desse crime. A página também tem conselhos para quem quer se prevenir do assédio de criminosos na Internet, nas ruas, durante viagens, em casas, prédios e apartamentos, no carro e em caixas eletrônicos.
Em caso de roubo do carro ou assalto, por exemplo, o polícia recomenda que nunca se reaja. O melhor a fazer é entregar as chaves do veículo e o que mais o bandido pedir. Dê preferência a cofres de bancos para guardar grandes somas em dinheiro ou jóias, pois é perigoso deixá-las em casa. Crianças também devem saber se proteger. Não conversar com estranhos é a primeira regra.
Uma galeria de fotos apresenta falsos empregados domésticos que aplicam golpes em famílias que necessitam de profissionais para os trabalhos de casa. Consulte antes de contratar alguém.
O link Delegacia Eletrônica registra queixa de furto de veículos, de documentos, de placas, de celular, desaparecimento e encontro de pessoas diretamente pelo micro, sem a necessidade de sair de casa. Meia hora depois, um policial confirma os dados e libera a impressão do boletim de ocorrência.
A Secretaria da Segurança Pública www.seguranca.sp.gov.br/CF) oferece um canal para quem quiser fazer denúncias online. A comunicação pode ser feita anonimamente, já que a polícia não registra o endereço IP da máquina do denunciante. O mesmo endereço recebe reclamações contra policiais que tenham praticado atos de violência ou não tenham agido de acordo com as atribuições da função.


Fique conectado, mesmo
se estiver longe de casa

Inserir aviso que envie resposta automática avisando das férias é uma das alternativas

Milhões de brasileiros fazem as malas e saem em viagens pelo Brasil afora nesse período do ano. É nessa época que, com freqüência, os e-mails de conhecidos 'saem do ar' - só são lidos com um mês de atraso. Quem estiver viajando, também, perde o contato com amigos e fica virtualmente ilhado, pois o local de 'residência provisória' nas férias não possui conexão à Internet.
Para quem não quer sumir do mapa no período de férias, três providências básicas podem ajudar muito. A primeira é inserir um 'aviso de férias' no seu e-mail, para que as pessoas que lhe escrevem recebam uma resposta automática dizendo que você está ausente. Crie, também, uma conta de e-mail gratuita em um serviço que possa ser acessado pela Web (como BOL, Hotmail, Yahoo!, ZipMail ou iG), para ler suas mensagens de qualquer lugar. Por fim, consulte os e-mails em viagem, onde você estiver, por meio dos serviços de acesso público à Internet - conhecidos como cybercafés.
Vários sistemas de Webmail - serviços de correspondência que funcionam diretamente pela Web, sem precisar de um programa específico, como o Outlook Express - permitem inserir avisos de férias. Para fazer isso no BOL (www.bol.com.br), basta clicar no link Configurar e depois na opção Resposta automática, redigindo em seguida a mensagem que se quer que as pessoas recebam. No Yahoo! (www.yahoo.com.br), acesse o link Opções e depois Resposta nas férias para criar o aviso.
Sistemas de e-mail gratuito importantes, como Hotmail, iG e ZipMail, não possuem tal recurso. Mas há provedores pagos, como o UOL, que o oferecem por meio de seu serviço de leitura de e-mails pela Web. Em todos os casos, a configuração do serviço passa pelos links Opções, Configurações ou Preferências nesses sites.


Palm para Mac - A versão beta do software Palm Desktop 4.0, para Macintosh (Mac OS X), já está disponível para download no endereço www.palm.com/macintosh/publicbeta. O programa permite compatibilidade de dados entre os handhelds e computadores da Apple e utiliza as tecnologias vCard e vCal, para intercâmbio de cartões e compromissos da agenda virtual. Entre as vantagens do software está a conectividade entre os usuários do Mac e do Windows, permitindo compartilhar dados e informações, destaca Todd Bradley, vice-presidente executivo e chefe de operações da Palm. Com o software, os usuários do Mac OS X sincronizam os handhelds da Palm usando diferentes conexões sem mudar as características do aparelho.


Hbtec lança ferramenta
para banco de dados

Programa Hbtec Dex Data Explorer permite organizar e facilita busca de informações

Liliani Bento
Especial para AN informática

A Hbtec, empresa especialista na produção de software para gestão, localizada em Blumenau, está lançando um novo produto. Trata-se do Hbtec Dex Data Explorer, uma ferramenta de Business Inteligence (BI) que vasculha o banco de dados da empresa, encontra e organiza as informações solicitadas pelo usuário. O diretor da empresa, José Roberto Heller, explica que o Hbtec Dex apresenta como vantagem buscar sozinho os dados que já existem na plataforma do cliente, desde que esta seja Oracle. "O software é compatível com qualquer plataforma, no entanto, para realizar este trabalho em outro ambiente é necessário antes organizar e analisar os dados e alimentar o programa, para depois ser emitido o relatório", explica.
Usando o conceito Olap (Online Analitical Process), o Hbtec Dex gera relatórios que unem diversas informações que estão dispersas no banco de dados do usuário. Pode, por exemplo, cruzar dados de população e volume de vendas em diversas cidades, para analisar a relação entre ambos e ver se a quantidade de produtos colocados num determinado mercado corresponde ou não ao potencial de consumo dele. "O usuário pode ver que vende num município de 100 mil habitantes a mesma quantidade que coloca numa outra cidade com a metade da população. É um indicativo de que há problemas na cidade maior, que poderia estar consumindo mais", exemplifica Heller.
Para fazer essa comparação é que a Buettner, empresa têxtil de Brusque, adquiriu o software. A empresa pretende desenvolver ações para incrementar o faturamento nos mercados em que não está sendo explorado todo o potencial. O Hbtec Dex foi todo desenvolvido para ser integrado a solução de CRM já existente na empresa (Telemarketing, SAC e Força de Vendas).


Recursos do software
incluem cruzamento de dados
com outros programas

Ao ser usado em conjunto com outras ferramentas de CRM, por exemplo, o Hbtec Dex pode cruzar dados de consumo, descobrindo quem são os clientes que compram com certa freqüência um determinado produto, para fazer uma oferta especial, através do telemarketing.
Os relatórios gerados pelo Hbtec Dex podem ser disponibilizados na Internet, em padrão HTML. "Assim é possível deixar bem informados clientes, fornecedores, consumidores ou representantes da empresa", diz o diretor da Hbtec, José Roberto Helle. Outra vantagem citada por ele é que o software é fácil de utilizar e pode ser manipulado diretamente por usuários de todos os níveis hierárquicos, o que gera maior rapidez na captação de informações.
A Buettner também foi a primeira empresa a usar o software de telemarketing criado, ano passado, pela Hbtec, e nos últimos seis meses conseguiu recuperar pelo menos 40% dos clientes inativos. A meta era de reconquistar 10% dos 8 mil que estavam inativos nos últimos 10 anos. Outras informações podem ser obtidas em www.hbtec.com.br. (LB)

Manchetes AN
Das últimas edições de AN Informática
29/01 - Peças novas dão sobrevida ao seu micro
16/01 - Vida de artistas exposta na Web
09/01 - iMac da Apple mantém design inovador
02/01 - Portais mostram o que dizem os oráculos
26/12 - Comprar na Web é opção para fugir das filas
19/12 - Internet ajuda usuário a escolher seu amigo secreto
12/12 - Use e abuse dos truques nos sites de busca

Leia também

Território devastado
Usuário de Evil Twin vive aventuras em uma terra arrasada. São mais de 100 personagens
Foto: Divulgação

Enfrente um mundo
aterrador em Evil Twin

Game leva jogador para aventuras em um universo paralelo, com cenários sinistros e sombrios

Um enredo que mistura ação e aventura e que vai agradar aos fãs dos filmes de terror. Em Evil Twin, o usuário acompanha as aventuras do órfão Cyprien em um universo paralelo com cenários que parecem saídos de um pesadelo.
Cyprien tem apenas dez anos e perdeu seus pais em um de seus aniversários. Desde então, ele vive em um orfanato. O garoto mudou sua maneira de ser para suportar a dor pela perda: é mais maduro que outros meninos na sua idade e tem certa tendência de isolamento. Para evitar que o décimo aniversário de Cyprien fosse apenas uma ocasião na qual ele fosse lamentar a ausência da família, seus amigos resolvem organizar uma festa-surpresa. Ninguém podia imaginar, porém, quão surpreendente se tornaria essa comemoração.
Tímido, Cyprien foge da festa e, ao chegar em seu quarto, é misteriosamente transportado para Undabed, um universo paralelo cuja principal característica é o ambiente sombrio e aterrorizante. No passado, esse mundo foi devastado por um gigantesco maremoto. Em meio ao território destruído, ergue-se uma torre de dimensões colossais. Nessa construção vive o Mestre, cujo principal objetivo é destruir o que resta de Undabed.
Nesse universo sinistro, Cyprien revela uma segunda personalidade. Em algumas ocasiões, o pequeno órfão se transforma no SuperCyp, um guerreiro de força descomunal e poderes fora do normal, que pode provocar grande destruição. Entre as suas qualidades está a de voar. Evil Twin desafia o usuário a acompanhar a jornada de Cyprien e SuperCyp em Undabed. São oito fases com 76 níveis diferentes, nos quais o jogador se defronta com mais de 100 personagens.
A configuração mínima para rodar o jogo é processador Pentium II de 400 MHz, 64 MB de memória RAM, 700 MB de espaço livre em disco, drive de CD 4x, placa de som compatível com DirectX, placa aceleradora 3D, 16 MB de memória de vídeo, Windows 95, 98 ou 2000. O título é produzido pela Ubi Soft e comercializado no Brasil pela Pi Editora/BraSoft. O preço sugerido é de R$ 49,00.

INFORMAÇÕES: www.brasoft.com.br


Caos nuclear é
tema de Fallout 2

Depois de uma guerra nuclear, o planeta terra foi devastado e se transformou em um enorme deserto recheado de escombros. O medo é o sentimento predominante entre os sobreviventes. Em meio a esse cenário de caos, um novo Messias é revelado entre os poucos habitantes que ainda restam no planeta. Sua missão é reconstruir a humanidade. Esse é o enredo básico da Fallout 2, jogo que acompanha a edição de número 52 da revista CD Expert.
Assumido o personagem do Messias, o usuário tem uma série de missões para obter êxito na sua jornada. Encontrar o misterioso oásis chamado Vault 13 - uma cidade construída dentro de um abrigo nuclear - e resgatar o kit de criação do Jardim de Éden é apenas o começo de uma jornada em ambientes hostis. O personagem é a última esperança de todos e não pode falhar.

ANÁLISES

Além desse jogo completo, a revista traz dez análises de games como Echelon, F1 2001, Fifa 2002, Zoo Tycoon, entre outros. Uma matéria especial aborda Alien X Predador 2, uma sobre a seqüência de Hidden & Dangerous 2, um passo a passo com os segredos de Septerra Core, um jogo completo da edição anterior e a segunda parte do walthru de Anachronox são outros destaques. Ainda acompanham um matéria especial sobre dicas e códigos. O preço sugerido para essa edição é R$ 12,90.

INFORMAÇÕES: www.cdexpert.com.br

 
Copyright © 2000 A Notícia - Fone: 055-0xx47 431 9000 - Fax: 055-0xx47 431 9100 - Rua Caçador, 112 - CEP 89203-610 - C. Postal: 2 - 89201-972 - Joinville - SC - BRASIL - EXPEDIENTE
 
Por: Torque Comunicação e Internet