Joinville         -         Sexta-feira, 05 de agosto de 2005        -          Santa Catarina - Brasil
 
 

ANotícia  

P  
O  
L  
Í  
C  
I  
A  










Caminhão despenca
na serra Dona Francisca

Veículo que transportava carne caiu de altura de 50 metros, matando pelo menos um não identificado

Joinville - Caminhão-baú que transportava carne despencou ontem de altura de aproximadamente 50 metros na serra Dona Francisca. O acidente, que aconteceu por volta das 15 horas numa das curvas próximas ao km 90 da rodovia (SC-301), matou pelo menos uma pessoa. O corpo do motorista foi resgatado no início da noite de ontem por bombeiros voluntários de Joinville e policiais rodoviários estaduais, mas não havia sido identificado até fechamento desta edição. Uma equipe de resgate trabalhou por mais de quatro horas procurando outra pessoa que estaria no caminhão.
O caminhão tinha placas de Guaíra (PR), mas a empresa responsável pelo frete tem sede em Mato Grosso do Sul. O veículo ficou completamente destruído e parte da carga espalhada no meio da mata. Ele fazia o sentido Campo Alegre - Joinville. Segundo testemunhas, além do motorista, outro ocupante estava no caminhão, mas só um corpo havia sido retirado do local ontem, em função da dificuldade do resgate.
No momento do acidente, o casal de comerciantes Vanir Budal de Toledo, 52 anos, e Araci Toledo, 56 anos, estava próximo. Segundo Vanir, o caminhão descia em alta velocidade. "O motorista buzinava para o carro da frente e estava com os alertas ligados. Ele tentou fazer manobra para tombar o veículo, mas não conseguiu", relatou Araci. Eles disseram não terem visto o desfecho da tragédia, apenas escutado o estrondo da batida. A hipótese de falha mecânica é a mais provável, mas só uma perícia poderá confirmar o que realmente aconteceu.
Os comerciantes contaram que viram dois ocupantes no interior do veículo, aparentemente jovens. Os socorristas dos bombeiros, no momento do acidente, conseguiram localizar apenas um dos ocupantes, provavelmente o motorista. Na colisão contra as árvores e pedras, a carga esmagou parte da cabine e se espalhou pela mata. Os socorristas suspenderam a tentativa de retirar o veículo com um guincho. Operação será montada hoje pela manhã para retirar a carga e os destroços.


Seis feridos em dois acidentes

Óleo da carreta derramado na pista prejudicou trânsito

Criciúma - Em dois acidentes registrados ontem em Criciúma, Sul do Estado, seis pessoas ficaram feridas e as pistas das ruas interrompidas por mais de hora. Na rua Henrique Lage, esquina com a Domenico Sonego, três veículos se envolveram em colisão às 13h50 - a carreta Volvo (placas MCC 4125, de Criciúma) conduzida por Dalmir Líbero Ghiso, o ônibus da Expresso Forquilhinha (LBS 8674, de Criciúma) dirigido por Jorge Monteiro, 47 anos, e um Fiat Uno.
Os motoristas do ônibus e do Fiat Uno sofreram lesões leves e foram encaminhados para o Hospital São José de Criciúma. O acidente deixou a rua Henrique Lage interrompida por mais de hora por causa do óleo da carreta que ficou na pista. De acordo com os bombeiros, mas de 100 litros de óleo foram derramados. Os bombeiros lavaram a pista e funcionários da Prefeitura colocaram areia para limpar a pista, que estava escorregadia. No local do acidente, os moradores do bairro estão pedindo para que veículos pesados não transitem, porque existe escola próxima e causa perigo aos estudantes.
O outro acidente ocorreu na rodovia Luiz Rosso, proximidades do Morro da Bananeira, em Criciúma, às 12 horas. O Celta (LZM 9912, de Balneário Arroio do Silva) conduzido por Vanessa Justi Rocha, 29 anos, e o caminhão Mercedes Benz (MFH 0602, de Florianópolis) dirigido por Marcos Roberto Candido, 31, tiveram colisão lateral e o caminhão tombou no meio da pista. Os motoristas e mais o caroneiro do Celta ficaram feridos e foram encaminhados para o Hospital São José de Criciúma. A Polícia Militar controlou o trânsito até que o caminhão fosse retirado da pista. O trânsito nos dois bairros ficou agitado por causa dos desvios que tiveram que ser feitos para que os carros não ficassem parados enquanto os trabalhos estavam sendo realizados pelos bombeiros e policiais militares.


Mais uma vítima na BR-101

Angélica Santana não resistiu à colisão de Gol e Golf

Tubarão - Colisão transversal causou a morte da dona-de-casa Angélica F. Santana, 57 anos, no trecho não duplicado da BR-101. O acidente ocorreu ontem, por volta das 18 horas, no Km 342, trevo de acesso Sul de Tubarão. Angélica estava no Gol MAN-5611, de Tubarão, dirigido pelo marido Clauderi Morona Santana, 60. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, o Gol envolveu-se no acidente com o Golf CFE-2112 de Criciúma, conduzido por jovem de 25 anos, que sofreu lesões leves.
Angélica foi socorrida, mas morreu ao dar entrada no Hospital Nossa Senhora da Conceição. Uma criança de dois anos estava no Gol, mas nada sofreu.


Novas prisões preventivas
para elucidar caso Butzke

Rodeio - O delegado da Central de Polícia (CP) de Blumenau Waldir César Padilha pediu judicialmente a prisão preventiva de dois suspeitos com o objetivo de elucidar o assassinato do vereador Egon Butzke ocorrido há um ano - completado no último dia 2 de agosto - no portão de sua casa em Rodeio. Ele foi atingido com 10 facadas. Padilha assumiu o caso há dois meses, no lugar do delegado Rodrigo Emanuel Marchetti.
Durante nove meses o inquérito ficou sob coordenação do delegado Rodrigo Emanuel Marchetti. Neste período foram presos três suspeitos, liberados por falta de provas e apreendidos uma faca e um revólver. O inquérito agora está sob coordenação do delegado Waldir César Padilha. Ele já analisou os mais de 60 depoimentos prestados ao antecessor Marchetti, e agora procura definir linha investigatória.
O inquérito, na fase inicial trabalhou com três hipóteses que poderiam ter provocado a morte do vereador: crime político, pelo fato dele presidir a Comissão Processante da Câmara de Vereadores de Rodeio que cassou por 6 a 3 o mandato do prefeito Antônio Venturi (PMDB), queima de arquivo por traficantes de drogas já que ele denunciou da tribuna a venda de droga em um bairro de Rodeio e ainda, vingança de proprietários de prostíbulos localizados no bairro onde residia, devido ao fato de Buzke ter liderado campanha para erradicar a prostituição.
As hipóteses foram uma a uma caindo na medida em que avançavam as investigações. O crime político foi descartado devido ao bom relacionamento que o vereador mantinha com o executivo municipal; a denúncia sobre o tráfico de drogas referia-se a pequena quantidade de maconha; a campanha para erradicação da prostituição era um caso também de anos anterior ao crime. Das três hipóteses, a viúva Eliane Butzke sugere que a do crime político deve ser revisto.
Butzke foi morto com estocadas no tórax, braços e rosto, após discussão com um homem no portão de sua casa na rua Henrique Ewald, no Bairro dos Lagos, por volta das 19 horas do dia 2 de agosto de 2004. O assassino teria conversado com Elaine, esposa de Butzke a quem perguntou se era ali que morava "o vereador da vila".

Manchetes AN
Das últimas edições de Polícia
04/08 - Presa quadrilha que roubava carga
03/08 - Bomba-relógio caseira encontrada em colégio
02/08 - Inquérito apura morte de detento por enforcamento
01/08 - Assassinato de jovem investigado
31/07 - Quadrilha leva R$ 50 mil do Avaí
30/07 - Veículo desgovernado invade casas
29/07 - Dona-de-casa mata vizinho a tiros

Leia também

Professor
executado em colégio

Rio de Janeiro - Um sargento da Polícia Militar foi assassinado anteontem à noite dentro do colégio estadual onde trabalhava como professor de história, em Bangu, zona oeste do Rio. Márcio Nilo Jesus de Oliveira, 44 anos, foi retirado de dentro da sala de aula por dois homens armados e executado no corredor, com três tiros de pistola. Oliveira era lotado no Regimento de Polícia Montada (RPMont) da PM e lecionava no período noturno do Colégio Estadual Cristóvão Colombo desde o início do ano. O caso está sendo investigado pela 34ª Delegacia Policial (Bangu), que trabalha com as hipóteses de vingança, assalto e também de os criminosos terem como objetivo roubar a arma do sargento, levada após sua morte. Uma denúncia anônima aponta o envolvimento de estudante.
O crime aconteceu por volta das 20 horas. Os assassinos dominaram o porteiro do colégio, anunciando um assalto. Ordenaram que alunos e professores se deitassem com o rosto voltado para o chão. Em seguida, Oliveira foi executado.


 

Copyright © 2000 A Notícia - Fone: 055-0xx47 431 9000 - Fax: 055-0xx47 431 9100 - Rua Caçador, 112 - CEP 89203-610 - C. Postal: 2 - 89201-972 - Joinville - SC - BRASIL -EXPEDIENTE
 
Por:Torque Comunicação e Internet